Dia Mundial da Dislexia

Famosos com Dislexia

Atenção escolas e encarregados de educação

A DISLEX vem esclarecer e alertar no sentido de se evitar que as Escolas, inadvertidamente,  prejudiquem os alunos com Dislexia. Isto porque:

  • De DOCENTES recebemos “n” telefonemas e emails que nos dizem ter recebido “indicações” para, no caso de Alunos com Dislexia, mobilizarem apenas Medidas Universais (que não implicam elaboração de Relatório Técnico Pedagógico/RTP). 
  • Também muitos ENCARREGADOS de EDUCAÇÃO nos têm contactado porque estão receosos, mesmo apavorados, em virtude de a Escola ter decidido aplicar como suporte à aprendizagem e inclusão dos  educandos com dislexia somente Medidas Universais. Entretanto as avaliações aconteceram, os alunos ficaram desprotegidos, as notas negativas multiplicaram-se.
  • TODAVIA sabemos que, em variadas Escolas, quanto a disléxicos, a EMAEI decidiu o seguinte: fazer a transposição/adequação do que antes constava no PEI para os RTP aplicando, além das Medidas Universais, também Medidas Seletivas, naturalmente fundamentadas. E fazem-no porque alguns necessitam de ter Apoio Psicopedagógico, outros Adaptações Curriculares não significativas, outros Antecipação e Reforço das aprendizagens.
  • ORA, é preciso ficar vigilantes, porque, ao inscrevê-los para Exame na Plataforma do ME, só beneficiarão da Ficha A se tiverem RTP.

 

Helena Serra (Presidente da Direção da DISLEX)

 

Para comprovação, transcrevemos parte de um email recebido recentemente:

 

De: ..

Enviada: quarta-feira, 30 de janeiro de 2019 11:58
Bom dia Dr.ª Helena….

O meu nome …. Sou professora de Educação Especial…. Já nos conhecemos pessoalmente. Em tempos veio à minha escola por causa de uma aluna Disléxica... Estou muito preocupada com a situação dos alunos com Dislexia. A grande maioria das escolas está a colocar os alunos com esta problemática, na categoria de alunos com Medidas Universais. No meu ponto de vista é uma situação grave, estes alunos acabam por ficar sem apoio da educação especial e sem RTP. Se, em algumas escolas a EMAI e a direção permitem que alunos disléxicos com medidas universais tenham apoio por parte da Ed. Especial, noutras, o entendimento é diferente e quem sofre as consequências são os alunos.